Archives

Elisa Mansur, um ícone da nova geração que faz o bem

June 22, 2017 5:49 pm

Elisa Mansur é uma brasileira que nos dá orgulho. Elisa é uma jovem empreendedora que vive a vida em busca de mudar os cenários em que passa para melhor. Com anos de experiência na área da educação, inclusive como voluntária, ela passou foi para a Draper University, no Vale do Silício, se aperfeiçoar como empreendedora social, que vai atrás de inovações tecnológicas sustentáveis para, assim como a VV, fazer a diferença. Elisa foi Voluntária VV em Jardim Gramacho!

Tivemos a oportunidade de entrevistar a Elisa aqui pro #BlogdaVV nessa última semana e aprender muito com ela sobre o empreendedorismo “de impacto”, sobre sua plataforma, a DoeBem e também trazemos muita coisa que vai te inspirar a ser #voluntário!


Você é descrita como alguém que ama o empreendedorismo social e quer deixar um impacto positivo no mundo. Algo sustentável. Como nós somos da VV, uma empresa que É isso, queria que você definisse o que é o empreendedorismo social hoje, num amplo sentido? E qual o impacto de surgir mais dessas iniciativas hoje?

Eu até prefiro descrever o empreendedorismo social como “empreendedorismo de impacto” e defini-lo como uma ferramenta poderosa nas mãos daqueles que gostam e sabem fazer acontecer, e que têm o objetivo de, acima de tudo, maximizar impacto positivo na sociedade. Todo negócio precisa resolver um problema. No caso do empreendedorismo de impacto, esses problemas podem ser a evasão escolar, a extrema pobreza, doenças crônicas, entre outros.

Eu acredito fortemente no poder de cada indivíduo em promover a mudança e transformar uma realidade que não nos deixa satisfeitos. E hoje, mais do que nunca, temos várias ferramentas à disposição para fazer isso acontecer. Com mais dessas iniciativas, nos tornamos os responsáveis pela construção do futuro que queremos ver para o Brasil e para o mundo. Não precisamos mais terceirizar essa responsabilidade para ninguém!

Você tem várias experiências de voluntariado na área da educação. Como foram as suas e como isso é algo necessário no planeta de hoje? 

Eu comecei a fazer trabalho voluntário através de um programa da minha escola em 2007. A proposta era ajudar alunos de escolas públicas no ensino de matérias como Português e Matemática. Essa primeira experiência me estimulou a fazer parte de outras iniciativas voluntárias mais tarde, organizando atividades lúdicas para crianças em creches comunitárias e hospitais públicos, participando de algumas reformas em escolas e, mais recentemente, mentorando alunos de alta performance do Ensino Público que receberam bolsas para estudar no Ensino Privado. Mais do que ter promovido o meu envolvimento de longo prazo com essas atividades, minhas experiências de voluntariado definiram a minha decisão de vida e de carreira de focar integralmente no empreendedorismo de impacto.

Eu acredito que experiências de voluntariado, sejam elas na Educação, Saúde ou em qualquer outra área, dão uma perspectiva diferente de Brasil e de mundo ao voluntário e um tipo de realização pessoal única. Eu vejo o voluntariado como uma forma de nos trazer à essência do que somos – nos tira do rótulo diário de empreendedora, pai, amiga, advogado, mãe, médico, estudante, chefe, empregado etc. e nos coloca de volta no nosso papel mais importante: seres humanos. No final das contas, o que realmente importa é querer fazer o bem e ajudar os outros. Ser voluntária me trouxe isso.

O que é a doebem?

A doebem é também uma organização focada na promoção de impacto positivo. Foi fundada para aliar o pensamento científico com o impacto social para eliminar a extrema pobreza no Brasil. Hoje somos uma plataforma de doação (www.doebem.org.br) que faz a ponte entre doadores e organizações eficientes, que são selecionadas e recomendadas a partir de critérios rigorosos de gestão, transparência e impacto.

Nós estudamos diversas intervenções, como tratamento de doenças crônicas, missões cirúrgicas, transferência de renda, distribuição de óculos, cirurgias de catarata etc. e verificamos quais possuem evidências robustas, a partir de estudos científicos, de impacto positivo de curto, médio e longo prazo. Por exemplo, sabemos que ao investir 100 dólares na distribuição de remédios contra esquistossomose, é possível aumentar em cerca de 14 anos a presença na escola de uma grupo de crianças.

De forma geral, o objetivo da doebem é promover uma cultura de doação eficiente e proporcionar mais segurança, confiança e transparência ao processo de doação. Queremos reinventar a forma como ajudamos.

Como você acha que podemos relacionar a doebem e a Volunteer Vacations a fim de fazer a diferença no mundo?

A proposta tanto da Volunteer Vacations quanto da doebem é a doação, seja do seu tempo ao ser um voluntário através da VV ou do seu dinheiro através da doebem. São atividades complementares e que, juntas, permitem promover um Brasil mais generoso, próspero e solidário.

Como deixar um legado de mudança positiva – Coluna do Fran

June 14, 2017 3:50 pm

Com minhas viagens participando de dois programas de TV sempre vi muitos cenários de conflito, desastres naturais e locais que precisam de ajuda em suas mais básicas necessidades de infraestrutura. Era bom dar um retorno através de exibir seus problemas e questões para o publico brasileiro através de conteúdo pra TV, mas eu sentia que aquilo era muito fugaz. Ficava sempre a vontade de fazer algo mais impactante e de deixar um legado eficiente e contínuo para tantas pessoas que cruzavam meu caminho e faziam a diferença em minha vida com seus ensinamentos e exemplos de vida.

Foi então que conheci a Mari. E assim nasceu a VV, para cumprir essa minha angústia, por assim dizer. E foi perfeito!

A VV tornou-se a ferramenta perfeita, pois com ela conseguimos definir onde impactar, como, quais as necessidades de cada local, que tipo de ação executar… Tudo isso casado com a experiencia histórica, cultural, de quebra de paradigmas que toda viagem pode proporcionar. Além de tudo isso, conseguimos casar essas experiências com a parte turística de países incríveis! E pouco explorados! E esse legado da VV acaba se multiplicando centenas de vezes quando desenhamos um projeto como o VV Thinking!

Na semana passada inauguramos mais um Workshop #VVThinking! O tema dessa vez foi “Social Aid”, e coube a mim abrir com a “aula show” (no melhor estilo Ariano Suassuna) sobre Geopolítica em Zonas de Intervenção Humanitária. Para variar, a qualidade da turma ditou o ritmo do papo que abordou, além do tema central, questões como novo mercado de trabalho, metodologias de ensino, carreiras não-tradicionais, consumismo, meio-ambiente, capitalismo consciente, empreendedorismo no terceiro setor, quebra de preconceitos… Só para citar algumas. Um misto de intercâmbio de ideias, networking, brainstorm, terapia de grupo (é brincadeira) com uma galera que em comum tinha a vontade/desejo/necessidade de fazer a diferença tatuada na alma.

Não sei se é mais triste ou revigorante constatar como temos poucas (ou nenhuma) iniciativas pensando e debatendo o empreendedorismo social de maneira moderna, prática e estimulante. O mundo está mudando, a grande sacada é fazer parte dessa mudança para que ela seja positiva. O trabalho humanitário e o voluntariado não são apenas ferramentas para melhorar o mundo, mas para melhorar a nós mesmos. Como diz um dos slogans da nossa #VV: vem com a gente!

Muito orgulho ter a VV trilhando esse pioneiro caminho!